sábado, 11 de junho de 2016

Câmara Municipal realizar mais uma Itinerante .


Os vereadores do município de Felipe guerra se reuniram na comunidade rural do Sítio Brejo nesta noite desta sexta-feira (10), em mais uma sessão itinerante. Estiveram presentes os vereadores: Djalma Laurindo; Ubiracy Pascoal; Jânio Barra; Luiz Agnaldo; Paulo Cezar; Joedna Canela e Salomão Gomes. Ausentes os vereadores: Genilson Nogueira e Ronaldo Pascoal.


Na sessão itinerante realizada no "Grupo Escolar" da comunidade, prestigiada por varias pessoas do Sítio Brejo, Sítios vizinhos e da cidade, esteve presente o senhor prefeito Haroldo Ferreira, secretários municipais, servidores públicos e moradores da comunidade.









Márcia Maia é a última ‘cartada’ de Wilma de Faria

wilma marcia
A ex-governadora do Rio Grande do Norte Wilma de Faria está entusiasmada com a pré-candidatura de sua filha e deputada estadual, Márcia Maia.
Acha que o nome dela crescerá em Natal nos próximos dias. É a última cartada de Wilma. Se Márcia perder ela estará fora da política para sempre.

Lula quase nas mãos de Moro

Former Brazilian President (2003-2011) Luiz Inacio Lula da Silva gestures during a meeting with the Workers' Party (PT) members in Sao Paulo, Brazil on March 30, 2015 AFP PHOTO / Nelson ALMEIDA (Photo credit should read NELSON ALMEIDA/AFP/Getty Images)
A Procuradoria Geral da República (PGR) emitiu parecer pedindo envio da denúncia contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva à primeira instância da Justiça Federal, mais especificamente para as mãos do juiz Sérgio Moro, em Curitiba. A decisão sobre a mudança de instância será do ministro Teori Zavascki, relator dos processos da Operação Lava-Jato no Supremo Tribunal Federal (STF).
O inquérito em que Lula foi denunciado, segundo O Globo, é o que trata da suposta tentativa de obstrução de Justiça pelo então senador e líder do governo no Senado, Delcídio Amaral (sem partido-MS). O ex-senador chegou a ficar preso por tentar impedir a delação premiada do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró.
Primeiro, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, denunciou ao STF Delcídio, seu ex-chefe de gabinete Diogo Ferreira, o advogado Edson Ribeiro e o banqueiro André Esteves, suspeitos de participar do plano para derrubar a delação de Cerveró. Depois, o parlamentar fez um acordo de delação premiada e acusou Lula de estar por trás do plano. Com base nos depoimentos e em provas reunidas, Janot aditou a denúncia para também acusar Lula, o pecuarista José Carlos Bumlai e o filho dele, Maurício Bumlai.

Michel Temer completa um mês na Presidência neste domingo

temer_idade
Neste domingo (12), Michel Temer completa um mês como presidente interino da República. Ele assumiu o poder após o Congresso Nacional aprovar a admissibilidade do processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff e, ao longo das últimas quatro semanas, conseguiu imprimir uma agenda positiva na área econômica.
No primeiro dia de trabalho, o governo anunciou a intenção de extinguir milhares de cargos públicos até o fim deste ano e, na sexta-feira (10) detalhou que vai cortar 4.307 funções e cargos comissionados em 30 dias. Em outro gesto, Temer anunciou o congelamento de nomeações para empresas estatais e fundos de pensão, até que a Câmara dos Deputados aprove projetos que limitam tais indicações a pessoas com qualificação técnica.
Na economia, o presidente interino alterou e aprovou a meta fiscal para 2016, que prevê déficit primário de R$ 170,5 bilhões. Medida que havia ficado parada durante meses, a Desvinculação das Receitas da União (DRU), que permite ao governo usar livremente parte de sua arrecadação, foi aprovada em dois turnos pelos deputados e agora será analisada no Senado.

Joelma se apresenta ao lado de Thábata Mendes no Mossoró Cidade Junina

joelma_mossoro
O São João mais animado do Brasil recebeu nesta sexta-feira, 10, a cantora Joelma, na Estação das Artes Elizeu Ventania, principal palco do evento. A artista trouxe ao público músicas dos seus mais novos sucessos, lançados recentemente no CD ‘Avante’.
A cantora paranaense animou o público durante toda sua apresentação, com destaque para os sucessos ‘Não teve amor’, ‘Se vira aí’ e ‘Ai, coração’. Quem teve participação especial foi a artista mossoroense Thábata Mendes, que se apresentou juntamente com Joelma, no palco do maior São João do Brasil, momento que encantou o público.
Fã da cantora Joelma, Gabriel Silva, de 22 anos, disse que o evento foi marcante. “Estou muito emocionado de ter participado desse show. Foi um momento que marcou a minha vida como fã”, comemorou. Neste domingo, sábado, 11, sobem ao palco da Estação das Artes os cantores César Menotti e Fabiano e as bandas Farra das Amigas e Forró dos 3.

Volta de Dima mergulha Brasil num ‘apocalipse’

apoca
O senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES), membro da comissão especial que discute o impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff, considera o retorno da petistas “absolutamente inviável, uma catástrofe”. Em entrevista ao Diário do Poder, o tucano revelou que as evidências, “claras e objetivas”, reforçam a existência de crime de responsabilidade, que culminará com o impedimento definitivo de Dilma.
Deputado estadual por dois mandatos, deputado federal e vice-governador do Espírito Santo, Ferraço adotaria medida diferente, no campo político, daquela do presidente interino Michel Temer. “Talvez não convidasse para compor o meu ministério figuras que, eventualmente, pudessem constranger o governo” disse.
Empresário, Ferraço recorre, neste momento de crise institucional, uma declaração do ex-primeiro-ministro britânico Winston Churchill: “Deus me ajude a cuidar dos amigos, porque dos inimigos e adversários eu mesmo cuido”. É uma referência aos ministros do governo enrolados na Operação Lava Jato.
A conclusão do impeachment ocorrerá em agosto?

Estou seguro que sim. Vamos, na segunda-feira, reiniciar os trabalhos. Temos seis testemunhas para ouvir. Esperamos que, ao longo da próxima semana, a gente já tenha ouvido, pelo menos, a metade das testemunhas.
Denúncias envolvendo a cúpula do PMDB não colocam em xeque o impeachment?
São coisas diferentes. Uma coisa são os processos, os inquéritos, as denúncias relacionadas aos senadores do PMDB. Outra coisa é a comissão do impeachment, que tem vida própria e um rito definido. Precisamos ficar atentos às manobras de atalho e de chicana da presidente afastada e de seus aliados, que tentam adiar a discussão, para que a gente não conclua o processo no prazo de até 180 dias. Todos manobram e conspiram contra a Lava Jato tombarão, assim como todos que conspiram contra o impeachment.
O que o senhor acha do primeiro mês de governo do Michel Temer?
Não poderíamos esperar coisa muito diferente, porque a quadra é complexa, o momento é sensível. De certa forma, estamos enfrentado problemas que poderíamos ter evitado, mas tem uma tempestade perfeita se impondo no país com crise política, com crise econômica, com recesso social, com crise moral. O governo está encontrando o rumo: constituiu uma boa equipe econômica e tem boa base política para fazer as mudanças e as transformações que o país precisa. O Temer é uma solução constitucional. Ele chega à Presidência da República com legitimidade constitucional, mas precisa se legitimar diante da sociedade brasileira, sinalizando que o governo dele não é nem parecido com o da Dilma.
O que o senhor faria de diferente?

Talvez não convidasse para compor o meu ministério figuras que, eventualmente, pudessem constranger o governo. Em momento como o atual, temos que lembrar da velha frase do (Winston) Churchill: “Deus me ajude a cuidar dos meus amigos, porque eu cuido dos inimigos e adversários”. O problema, no caso, são os amigos.
O senhor acredita que há chance de retorno de Dilma Rousseff? O que representaria o retorno dela?

Uma catástrofe. A presidente Dilma perdeu as condições políticas e morais de liderar o nosso país, sobretudo pelas revelações mostrando que a presidente da República agiu pessoalmente atentando contra a probidade administrativa. O retorno da presidente Dilma é absolutamente inviável, uma catástrofe. É mergulhar o nosso país em um apocalipse. Não acredito em um retorno dela porque as evidências objetivas em relação a todos os seus crimes são muito claras.O senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES), membro da comissão especial que discute o impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff, considera o retorno da petistas “absolutamente inviável, uma catástrofe”. Em entrevista ao Diário do Poder, o tucano revelou que as evidências, “claras e objetivas”, reforçam a existência de crime de responsabilidade, que culminará com o impedimento definitivo de Dilma.
Deputado estadual por dois mandatos, deputado federal e vice-governador do Espírito Santo, Ferraço adotaria medida diferente, no campo político, daquela do presidente interino Michel Temer. “Talvez não convidasse para compor o meu ministério figuras que, eventualmente, pudessem constranger o governo” disse.
Empresário, Ferraço recorre, neste momento de crise institucional, uma declaração do ex-primeiro-ministro britânico Winston Churchill: “Deus me ajude a cuidar dos amigos, porque dos inimigos e adversários eu mesmo cuido”. É uma referência aos ministros do governo enrolados na Operação Lava Jato.
A conclusão do impeachment ocorrerá em agosto?

Estou seguro que sim. Vamos, na segunda-feira, reiniciar os trabalhos. Temos seis testemunhas para ouvir. Esperamos que, ao longo da próxima semana, a gente já tenha ouvido, pelo menos, a metade das testemunhas.
Denúncias envolvendo a cúpula do PMDB não colocam em xeque o impeachment?

São coisas diferentes. Uma coisa são os processos, os inquéritos, as denúncias relacionadas aos senadores do PMDB. Outra coisa é a comissão do impeachment, que tem vida própria e um rito definido. Precisamos ficar atentos às manobras de atalho e de chicana da presidente afastada e de seus aliados, que tentam adiar a discussão, para que a gente não conclua o processo no prazo de até 180 dias. Todos manobram e conspiram contra a Lava Jato tombarão, assim como todos que conspiram contra o impeachment.
O que o senhor acha do primeiro mês de governo do Michel Temer?

Não poderíamos esperar coisa muito diferente, porque a quadra é complexa, o momento é sensível. De certa forma, estamos enfrentado problemas que poderíamos ter evitado, mas tem uma tempestade perfeita se impondo no país com crise política, com crise econômica, com recesso social, com crise moral. O governo está encontrando o rumo: constituiu uma boa equipe econômica e tem boa base política para fazer as mudanças e as transformações que o país precisa. O Temer é uma solução constitucional. Ele chega à Presidência da República com legitimidade constitucional, mas precisa se legitimar diante da sociedade brasileira, sinalizando que o governo dele não é nem parecido com o da Dilma.

PRF apreende explosivos transportados irregularmente em Caicó

explosivos
A Polícia Rodoviária Federal apreendeu ontem (10), na unidade operacional de Caicó, no km 107 da BR 427, 25 quilos de explosivo granulado (Nitron), 23 espoletins e seis metros de cordão detonantes que estavam sendo levados para uma obra da CAERN.
Segundo a PRF, o condutor do veículo que levava o material não tinha curso específico para transportar explosivos, além de não apresentar a guia de transporte expedida pelo Exército. O material foi conduzido para a delegacia da Polícia Civil para lavratura de flagrante, sendo conforme o artigo 56 da lei 9605/98 – Crime Ambiental – Transportar produto perigoso em desacordo com nas normas.